Algumas verdades sobre criar rapazes

September 13, 2017 - João Moreira Pinto

1 Comment

Entre as releituras que tenho feito, encontrei vários textos que terão de ser revistos, seja porque houve uma novidade científica que é importante actualizar, seja porque houve mudanças nas nossas vidas pessoas, seja porque pura e simplesmente deixou de fazer sentido falar de algumas apps (por exemplo).

 

Um dos primeiros posts ‘Cá em casa espere-se o nascimento do segundo filho’ tem obviamente desactualizado quanto ao texto, mas também tem mais coisas a corrigir. A ligação para o texto original. “20 Things No One Told Us About Raising a Boy” tinha sido publicado no website iVillage que entretanto encerrou. Através do Google, consegui recuperar uma cópia do texto original, no Modern Ghana(?!).

 

Mas escrevia eu em Novembro de 2012, que me entretia «muitas vezes a admirar as mães chamarem a atenção dos seus rapazes para a asneira que estão a fazer com aquela pontinha de orgulho no olhar. Da boca até pode sair uma repreensão, mas há um balãozinho como nas bandas desenhadas que diz não-haja-dúvida-nenhuma-que-és-mesmo-rapaz.» Isto continua a ser verdade. Pode não ser moderno, pode não ser politicamente correcto, mas continua a ser verdade.

 

Já na altura não chamei as questões de género ao barulho… Falei apenas da sexualidade. «Bem sei que é alimentar estereótipos e que, nas questões da sexualidade, as excepções não confirmam nenhuma regra. Ainda assim, estas constatações alimentam a esperança das mães (e dos pais) de que o filho prolongará a descendência. E por isso ri-me (com a tal pontinha de orgulho) ao relembrar algumas dessas constatações que fazem do JM um rapazola típico.»

 

Depois, destaquei algumas das tais coisas-que-ninguém-avisou-as-mães-sobre-criar-um-rapaz que fui constatando lá em casa e que hoje posso actualizar:

  1. Há comboios, aviões e carros por todo lado – confere e piora com o nascimento do segundo
  2. Até os mais doces gostam de pistolas – confere e piora, principalmente se juntarmos bisnagas à hora do banho;
  3. Os rapazes não param quietos – confere e piora quando são dois miúdos contra dois graúdos;
  4. Haverá xi-xi por todo lado – confere e rege-se pela lei da proporcionalidade;
  5. A comparação das pilinhas começa cedo – confere mas acho arriscado trazer a lei da proporcionalidade a este tema;
  6. Os rapazes adoram as mães – confere e reparo que a Mãe acumula o cargo de rainha e princesa deste nosso palácio;
  7. Boys sometimes need to hug it out – confere e este pai tem sido fonte de muitos abraços também;
  8. As brigas são inatas – eis uma ‘inverdade’ (adoro este termo criado pelos políticos). Felizmente os nossos rapazes são pouco dado a lutas. Muito de vez em quando engalfinham-se mais sério, mas, na maior parte das vezes, são brincadeiras com almofadas que param quando um deles se magoa;
  9. Star Wars takes over earlier than you expect – comprovado por vários posts publicados entretanto neste blogue.

 

Noto que, na altura, não dei relevância a outras ‘coisas’ que hoje sei serem verdade e verificáveis cá em casa. The goofiness starts early. O JM sempre foi brincalhão, mas o MM consegue ser mais ‘palhacinho’ e vê-se que adora ser o centro da galhofa. Sports obsession can be hard-wired. O JM é um desportista nato e adora experimentar todas as modalidades. O MM não é tão dado a experiências novas, mas, quando gosta, dedica-se: é assim com o hóquei e com os velocípedes (bicicleta e carro a pedais). You’ll probably make a trip to the emergency room. Já houve suturas cá em casa, mas, felizmente, nunca tivemos que ir ‘onde o pai trabalha’….

 

 

Existem outras ‘coisas’ sobre as quais continuo a não ter opinião 100% formada e admito que elas se apliquem mais às Mães (o artigo original em inglês foi escrito por uma Mother). Clothes shopping is easy — and cheap! (continuo a achar difícil, mesmo quando compro para mim), You will throw away a ton of clothes (admito que sim, mas não tenho ponto de comparação) You will love watching him play with his dad (admito que sim, mas sou parte interessada) You’ll learn to love legos (já adorava), You’ll learn not to compare your son to girls (porque raio?!), You will struggle with gender roles (porque raio?! outra vez), You’ll want to mold him into a stellar boyfriend, You will revise your wedding fantasies — And be fine with it (porque raio?! outra e outra vez). Sinceramente, espero que os papéis tradicionais de rapazes e raparigas não façam confusão nas cabeças dos pais de hoje em dia e que nem Mães nem Pais projectem as suas frustações amorosas na vida dos seus filhos ou filhas. Que raio…

 

Verdades à parte, acho que muito do caos e situações caricatas criadas pelas crianças acima descritas se aplicam tanto a rapazes como a raparigas. Alguns estereótipos valem pela piada que têm quando verificamos que assentam aos nossos próprios filhos. Independentemente disto, sugiro reverem este post, porque alguns dos estereótipos colocam injustamente as meninas numa posição de inferioridade. Isso já não tem piada.

 

Subscreva a newsletter d’E os filhos dos outros, para ir sabendo novidades e sugestões exclusivas. Obrigado.

João Moreira Pinto

One thought on “Algumas verdades sobre criar rapazes

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *