Como podemos ensinar os nossos filhos a fazer as pazes?

Hoje celebra-se o Dia Internacional da Paz. Todos os 21 de Setembro, a Nações Unidas pede aos países que cessem os conflitos e pousem as armas. (Como isso fosse assim tão fácil…) Este ano, o secretário-geral Ban Ki-moon centrou a sua mensagem na necessidade de educar para a Paz, de começar por ensinar os mais pequenos a serem melhores adultos, sem guerras.

 

Há tempos, cruzei-me com este texto: «Teach our kids peacemaking skills». Eric Dawson é o fundador da Peace First, uma ONG que combate a violência nas escolas. A acção da Peace First não se limita a educar para a Paz, pois tenta ser mais abrangente. A sua filosofia é tornar cada criança um ‘agente multiplicador’ de paz. Ou seja, não basta ensinar o ‘make love not war’, é preciso dar competências aos mais pequenos para que eles resolvam os seus conflitos ‘a bem’ e tornarem-se eles próprios exemplos para que os seus colegas aprendam a manter um ambiente de paz entre si.

 

Então, como podemos ensinar os nossos filhos a fazer as pazes? Segundo este especialista em peacemaking, bastam 4 passos muito simples:

  1. Cultivar a empatia. O primeiro passo na resolução de um conflito é imaginarmo-nos no lugar da outra pessoa. Tentar compreender o ponto de vista da outra parte, é meio caminho para chegarmos a um acordo. A capacidade de entender a perspectiva do outro treina-se. Durante a leitura ou outras brincadeiras, faça perguntas abertas como: «porque achas que ele fez isto?»; «o que é que tu farias nessa situação?».  E não nos devemos limitar aos bons da fita, mas também tentar perceber os ‘maus’: «porque é que o Joker está zangado?»
  2. Tornar a dávida um hábito. Transforme o acto de dar – seja nas latinhas para a cruz vermelha, seja durante a missa – num acto em família. Explique porque damos dinheiro às instituições, onde é que o dinheiro vai parar, estimule ela própria a tirar uma moeda da sua semanada.
  3. Inspire os seus filhos a servir. Fazer voluntariado é uma óptima forma de trabalhar com e para os outros. Tente procurar uma actividade relacionada com um tema que a criança goste. Estimule a criança a arranjar novas soluções para os problemas sociais, a ser criativa.
  4. Seja um modelo de Paz. As crianças copiam tudo o que os pais fazem. (A campanha Children see, children do mostra bem isso.) Quantas vezes vamos no carro a barafustar com o carro ao lado? As crianças apanham esses momentos de agressividade, rapidamente os absorvem e usá-lo-ão mais tarde. Tente controlar-se nas situações de potencial conflito. É bom para si e é bom para os outros.

 

Uma nota final, porque sei que sou lido por muitas professoras. Para elas, chamo a atenção para esta secção do website da Peace First, onde são sugeridas actividades para as escolas que queiram promover esta filosofia do peacemaking. Espreitem, porque estão lá muito boas ideias. Quem sabe não vos inspira para começar uma ONG deste tipo em português?

 

[fonte: kindredgifts.com.au]

João Moreira Pinto

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *