Conhecimento, Ilustrarte, Eletricidade e Coches

Não foi neste fim-de-semana, mas sim no anterior, que fomos todos passear à capital da Nação. Gostamos muito de Lisboa e temos por lá uma família que nos recebe sempre muito bem. O tempo ameaçava chuva mas acabou por se ficar pelas ameaças. Passeámos bastante e conhecemos dois restaurantes bastante baby-friendly (excelentes dicas dos nossos anfitriões, que virão em post futuro).

Primeiro, revisitámos o Pavilhão do Conhecimento. Desde a última visita, que o JM pedia para voltar ao ‘parque da ciência’. Foram 3 anos a ouvi-lo!!! Achámos que seria uma prioridade nesta visita. A exposição temporária que lá está é dedicada a vírus, o que achei apropriado para a época do ano e há uma parte que desconhecia com várias bancas de trabalhos manuais: eletricidade, colares e pulseiras, origami, aviões de papel, paraquedas soprados por ventoinhas… Não sei se isto é novo ou não, mas foi a parte que os meus filhos mais gostaram. 
No dia seguinte, fomos ao Museu da Eletricidade. Está por lá a Ilustrarte, razão principal da nossa visita e que é realmente muito interessante. A ilustração agrada a crianças e adultos. É uma forma de uns e outros apreciarem arte em conjunto. Uma boa surpresa: à entrada existe uma folha com sugestões de atividades para fazermos com as crianças à medida que visitamos o espaço. Pareceu-me uma boa ideia que outras exposições e museus poderiam ‘roubar’.

Ilustrate

O Museu da Eletricidade propriamente dito tem uma grandiosidade que se adivinha de fora. Lá dentro, ficaria a perceber melhor como funcionavam todas as geringonças para gerar eletricidade, caso os meus filhos tivessem a calma necessária para se sentarem a ouvir as explicações… Passámos um bocadinho a correr todo o museu, porque o que nos interessavam eram as experiências no final. O culminar do museu de eletricidade é um conjunto de experiências, que, a brincar, explicam como se faz um circuito eléctrico, como funcionam os campos magnéticos e, o preferido do JM, como eletrocutar o irmão com a simples rotação de uma manivela.
Museu da Eletricidade
Depois de almoço, fomos a Belém. Eu queria visitar o Museu dos Coches e arrastei a família toda atrás com a promessa de comer um gelado na Santini. Domingo, dia de entrada grátis no museu, com a enchente que lhe é inerente, é o dia escolhido para a Santini fazer o descanso semanal. Sem o prometido gelado, a visita aos coches também não correu tão bem. Os coches são bonitos, mas a voltinha que por lá se faz apesar de rápida é muito pouco atrativa para a pequenada. Valeu-nos o tempo que abriu, permitindo um passeio soalheiro pela zona de Belém.
O MM adorou o Museu dos Coches.

João Moreira Pinto

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *