Estrias na gravidez? Não, obrigada!

As 3 convidadas especialistas deste mês são/serão todas Mães e todas bloguers. Depois do texto comovente da Sofia Ribeiro Fernandes, a Sofia Serrano escreve-nos sobre um tema prático e que preocupa tantas grávidas e recém-mamãs. A Sofia Serrano é médica ginecologista e obstetra. Trabalha no Hospital de Faro. Tem-se dedicado à laparoscopia, à infertilidade e ao diagnóstico pré-natal, tendo obtido a Certificação pela Fetal Medicine Foundation e a pós-graduação em Medicina Interna, Gravidez e Saúde Reprodutiva. A Sofia é Mãe da M (5 anos) e do P (1 ano). Escreve no Café Canela & Chocolate.

Estrias na gravidez? Não, obrigada!
Sofia Serrano

Apesar de a gravidez ser o denominado “estado de graça” há coisas associadas a esta fase da vida que qualquer mulher dispensava – e as estrias fazem parte dessa lista. Mas afinal o que são estrias e porque aparecem?

As estrias são lesões cutâneas lineares, atróficas, bem definidas e secundárias a alterações do tecido conjuntivo, que estão associadas a situações fisiológicas, como a gravidez.  Não está completamente esclarecida a sua origem, mas admite-se que o estiramento mecânico da pele, junto com os factores genéticos e com as alterações hormonais da gravidez tenham um papel significativo.  Também há outros factores que contribuem para o aparecimento de estrias, nomeadamente a idade da mãe, o tipo de pele da mãe, o ganho de peso na gravidez e o peso do recém-nascido.

Na realidade, as estrias surgem em cerca de 70% das grávidas, e aparecem mais frequentemente no abdómen, nas coxas e nas mamas.  Aparecem principalmente a partir da 25ª semana de gestação, inicialmente com uma cor rosada, no pós-parto ficam mais esbranquiçadas e permanecem como cicatrizes prateadas. E ficam para toda a vida.

Apesar de os factores genéticos serem importantes, há algumas medidas que podemos tomar para evitar/minimizar o aparecimento de estrias durante a gravidez e puerpério (sim, porque depois do parto ainda há esse risco):

  • beber muita água e ter uma alimentação saudável e equilibrada, para manter a pele hidratada, saudável e brilhante;
  • controlar o aumento de peso ( em particular o aumento de peso muito acentuado e rápido associa-se mais ao aparecimento de estrias)
  • aplicar regularmente cremes anti-estrias, iniciando a aplicação antes da barriga começar a crescer (logo no início da gravidez) para que a pele se mantenha com uma boa elasticidade, e manter a sua aplicação no pós-parto até voltar ao peso habitual. A aplicação deve ser de manhã, depois do banho e à noite;
  • usar cinta ou faixa de gravidez, que ajuda a suportar o peso da barriga e diminui a distensão da pele, minimizando a probabilidade de aparecimento de estrias.

Em termos de cremes anti-estrias, há vários no mercado. Estes são alguns dos que sugiro às grávidas:

João Moreira Pinto

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *