Febre e erupção dentária

O Convidado Especialista desta semana teve a coragem de se meter num tema muito controverso: erupção dentária dá febre?. O Dr. Hugo Rodrigues foi meu colega de curso. Entretanto, fez a especialidade de Pediatria no Hospital de Viana do Castelo, onde exerce já como especialista. Dá aulas na Escola de Ciências da Saúde da Universidade do Minho e na Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Instituto Politécnico do Porto. Pai de dois rapazes (2 e 4 anos). E (pasmem-se) tem um blogue: Pediatria para todos.

Febre e erupção dentária
Hugo Rodrigues

Se há algum vilão em relação à saúde das crianças pequenas, esse é claramente o “nascimento” dos dentes. À luz da cultura popular, são poucas as situações que causam tantos sintomas, mas a verdadeira questão é se tal é mesmo verdade ou não passa de um mito.

Se formos a ver, a erupção dos dentes pode causar uma lista infindável de maleitas, das quais se destaca a febre, mas também a diarreia, tosse, pingo no nariz e “rabinho vermelho”, entre outros. As explicações parecem muito lógicas, principalmente quando se argumenta que quando os dentes começam a “romper” o sistema imunitário das crianças fica alterado, o que as predispõe a todos os sintomas de que falei anteriormente.

O problema é que a ciência tem uma visão diferente deste problema. Foram já muitos os investigadores que tentaram provar esta relação, mas todos são unânimes: não existe prova de que os dentes causem qualquer tipo de sintoma. Claro que isto é contrariar uma certeza há muito enraizada na nossa cultura e, pior ainda, contrariar uma constatação de que realmente muitos meninos ficam doentes quando começam a nascer os primeiros dentes (cerca dos 6 meses de idade). Será mera coincidência?

[fonte: webmd.com]

Também aqui temos uma explicação mais ou menos lógica: é por volta dessa altura que os meninos começam a sair mais e a frequentar as creches, o que os expõe ao contacto com mais vírus e outros bicharocos. Deste modo, torna-se mais provável que adoeçam mais…

Na realidade, acho que a dúvida permanece sempre. Na minha opinião, acho que os dentes têm “costas largas”, mas que na verdade não causam nada do que lhes é atribuído. A única coisa que me parece aceitável é que causem algum desconforto às crianças, mas mais do que isso acho pouco provável.

Em termos práticos, acho também que é um pouco secundário saber se a febre é causada pelos dentes ou por algum vírus, porque o tratamento é sempre o mesmo. O principal é mesmo conhecer bem os sinais de alarme para não deixar passar o que é realmente importante…

João Moreira Pinto

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *