Muitos meninos têm hidrocelo mas nem todos são para operar

Em tantos anos de blogue, as únicas referências ao hidrocelo aconteceram como notas de rodapé dos textos dedicados às hérnia inguinais. No entanto, o hidrocelo é uma patologia que afecta grande parte dos rapazes ao nascimento (60-80% nalguns artigos), pelo que merece um artigo autónomo. Ainda por cima, o hidrocelo tem um segundo pico de incidência na adolescência, uma altura que os rapazes já não mostram os genitais aos pais e muitos médicos se coíbem de os examinar. É preciso estar atento.

O hidrocelo é uma acumulação de líquido no escroto. Pode ser uma reação temporária a um traumatismo ou a uma inflamação do testículo (ou um dos seus anexos).  Nos recém-nascidos e pequenos lactentes, o líquido acumulado vem de dentro da barriga através duma comunicação desta com o escroto (hidrocelo comunicante). Como expliquei num texto anterior, o canal peritônio-vaginal (ou processo vaginal) é uma comunicação une a cavidade abdominal com o saco escrotal. É o canal por onde desce o testículo que nasce dentro da barriguina dos fetos, mas tem que descer até ao escroto durante o primeiro ano de vida.  Este canal pode demorar vários anos a fechar completamente. 

fonte: childrenshospital.org

Tipicamente, no hidrocelo comunicante, o escroto tem mais líquido ao final do dia (porque foi acumulando) e está menor quando a criança acorda de manhã (porque recolheu para a cavidade abdominal enquanto este deitada). Não há um consenso de até que idade podemos esperar que feche. Há quem coloque indicação operatória aos 2 anos, mas se houver noção que está a melhorar, pode-se esperar mais tempo. Por outro lado, se houver suspeita de haver uma hérnia associada, deve operar-se mais precocemente. Isto é, se a persistência do canal permitir passar intestino ou gordura intraperitoneal chama-se hérnia e tem perigo de encarcerar.

Aspecto pós-operatório de correcção laparoscópica (sem cicatriz) de hidrocelo comunicante… direita? esquerda?

Já o hidrocelo do adolescente não costuma ser do tipo comunicante. Daí, não haver variação do volume do escroto ao longo do dia. Nestes casos uma das túnicas que recobre o testículo produz líquido a mais e o escroto começa a aumentar de volume e a ficar com tensão. Na maioria das vezes, não se sabe o porquê desta hiperprodução. O risco de infecção ou malignidade é pequeno, mas este líquido acumulado causa desconforto e dificulta a palpação do testículo. Se for de pequeno volume ou com pouco tempo de evolução, é normal que o cirurgião lhe peça para aguardar. Nalguns casos, pode ter havido uma inflamação ou um traumatismo do testículo ou dos seus componente que tenha despoletado um hidrocelo temporário. Se não houver melhoria, o mais sensato é operar. 

fonte: pedline.org.br

.

.

.

Se ainda não o fez, subscreva a newsletter d’E os filhos dos outros. Passe a receber notícias exclusivas e sugestões de outras leituras interessantes.

João Moreira Pinto

One thought to “Muitos meninos têm hidrocelo mas nem todos são para operar”

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *