O fantasma do apêndice (III)

Escrevi aqui alguns benefícios da laparoscopia no tratamento da apendicite aguda. Esteticamente, a vantagem é óbvia, pois evitam-se cicatrizes na fossa ilíaca direita, como a clássica incisão de McBurney, e outras mais radicais, como a incisão xifo-púbica (da apêndice xifóide, que é a ponta do esterno, ao púbis), uma risca de alto a baixo. Na Universidade do Minho, temos estudado a forma de fazer a apendicectomia o menos invasiva possível. Tem que se lhe diga e, este ano, vamos organizar pela primeira vez um curso intitulado: ‘Acute appendicitis: the end of the McBurney’s incision“. O título é provocador. Um curso laboratorial, clínico e cirúrgico dedicado em exclusivo ao tratamento da apendicite aguda.

Cerca de 7% da população terá que ser submetida a apendicectomia, no decurso da sua vida. Recordo que os maiores benefícios, para o médico e para o doente, não é a estética, mas sim o menor impacto em termos de dor, melhor recuperação da anestesia e da agressão cirúrgica. De qualquer forma, é sempre gratificante não deixar qualquer cicatriz visível.

Tirei esta fotografia no final de uma apendicectomia laparoscópica. O umbigo é a nossa ‘cicatriz natural’ . A outra mais baixa (à direita da imagem) tem 5mm e ficará por baixo ou no limite dos pelos púbicos.

João Moreira Pinto

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *