Saber partilhar

A Convidada Especialista desta semana escreve uma breve nota sobre a partilha e sobre a importância do desporto no desenvolvimento dessa partilha (um bocadinho na sequência do post de Domingo). A Dra. Inês Portinha é pedopsiquiatra (médica especialista em Psiquiatra da Infância e Adolescência). Trabalha no Centro Hospitalar do Porto, é mãe do Afonso (9 anos), da Beatriz (5 anos) e da Leonor (4 anos). 

Saber Partilhar
Inês Portinha

Quando é que as crianças são capazes de dar sem receber e como é que os pais os podem ajudar nesta tarefa? As crianças até aos 2/3 anos vivem centrados no seu mundo e dificilmente partilham. Por isso, a importância da integração no infantário a partir dessa idade (até lá não há nenhuma vantagem em fazê-lo). Os educadores e os pais devem auxiliar a criança a partilhar e a fazer atividades em equipa. A atividade desportiva deve ser uma brincadeira, em que a criança exercita o corpo sem dar conta (ex: rastejar como um crocodilo, esticar os braços em bicos de pés para apanhar as estrelas). O Play Gym é um exemplo de uma modalidade adequada a estas idades. O desporto, portanto, também é uma forma de os ajudar a partilhar e brincar em grupo. Os especialistas aconselham que as modalidades competitivas devem ser iniciadas mais tarde (a partir dos 8 anos de idade). E assim, saber partilhar vai ajudá-los a crescer.

João Moreira Pinto

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *